Telinha Quente no Facebook

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

A Voz do povo não é a voz de Deus


A partir da aquisição da Record pela Igreja Universal do Reino de Deus, em 1989, é que se pode falar em Igreja Eletrônica na TV brasileira, com isso, vários outros programas do gênero foram surgindo nas mais diversas emissoras.

Atualmente, Rede TV, Band, Globo, TV Cultura e claro a Record têm em sua programação um ou mais programas religiosos, ou seja, das grandes emissoras abertas do nosso país, apenas o SBT não destina espaço para a “fé” virtual.

Recentemente circulou na imprensa boatos de que a Rede Record rifaria de sua programação programas de cunho religiosos, a partir do próximo ano (2009). Imediatamente, a emissora do bispo Edir Macedo, veio a público através de sua assessora de comunicação desmentir qualquer possibilidade.

Mas é impossível não notar que os programas destinados aos evangélicos na emissora vêm perdendo a força, graças à acirrada disputa pela audiência. Se até o inicio da década, os programas religiosos eram exibidos dentro da programação comercial da emissora, entenda-se, de 07h as 00h, atualmente são restritos as madrugas.

Evidentemente, a programação da Rede Record difere da programação dos canais exclusivamente religiosos, segundo um levantamento da Empresa, Santos, são 15 emissoras pertencentes a Igrejas no Brasil que limitam-se a exibir programas religiosos durante as 24horas. Por outro lado, não é possível separar os interesses da IURD dos interesses da rede de TV (Record) visto que ambas têm na figura de Edir Macedo seu gestor.

De fato a inserção das Igrejas na TV tem como objetivo a adesão de novos fieis, já que de um tempo para cá, é notório a perda de seguidores, principalmente dos jovens. E sinceramente, as Igrejas não medem esforços para isso. Com o lema: “Deus detesta a pobreza e ele mesmo criou condições para a prosperidade de seu povo” (apud Assmann, op cit: 96). R. R. Soares (Igreja Internacional da Graça de Deus) considera que quem não alcança esta prosperidade é porque não se converteu e continua presa dos demônios, sendo ele mesmo uma prova dessa tese, uma vez que nasceu pobre e alcançara a prosperidade convertendo-se a Jesus. (Para quem sabe ler um pingo é letra).
A manutenção dos diversos programas religiosos na TV indica a existência de um grande suporte financeiro por trás. O que é de conhecimento de todos, e prefiro não comentar. Resta saber até que ponto a inclusão da prática religiosa altera as bases da própria religiosidade Cristã? E se a religião praticada pelas igrejas evangélicas, exemplo, Igreja Universal no templo é a mesma da telinha?
Entenda-se totalmente teatral.

Ao certo, chego à conclusão de que a voz do povo não é a voz de Deus. Porque se fosse, dificilmente teríamos tantos programas do gênero na TV. Porque na prática programas com essa temática de nada acrescentam na vida de ninguém.

22 comentários:

Cláudio Almeida disse...

Pessoal!
Não poderia deixar de dizer que a chamada que o SBT preparou hoje, para “Revelação” é extremamente bem feita e linda.
Será que estamos diante de uma nova fase da emissora de Silvio Santos?

Cristiane disse...

Realmente a voz do povo não é a voz de Deus. Acho que não merecemos tantos programas do genero na TV.
Acho total desrespeito com os telespectadores.Inflacionar nossa programação com qtas por**carias

Cristiane disse...

Lembrando que é sempre dificil e polemico falar sobre religião

Douglas disse...

A minha maior implicancia com a Record é pelo fato de refletir a Igreja Universal.
Não suporto programas como esses,e mais que isso, não suporto e n admito que essas pessoas vá a público em rede nacional, para criticar outras praticas religiosas.

Flávio disse...

Lembrando que o SBT não exibe Programas Religiosos não é por falta de oferta, mas sim, pelo fato de Silvio Santos ser Judeus.
Para nossa felicidade.

A Globo por mais que seja uma rede católica, não faz disso o seu ganha pão, como acontece na Record, e em outras emissoras

Cristiane disse...

Acabei de vê essa chamada que você se referiu a cima, a estreia da novela, vem junto com a expectativa de milhões de brasileiros, eu como fã, desejo que a novela registre excelentes indices para o SBT

patrícia disse...

Não consigo imaginar a Record sem vincular os Cultos da Igreja Universal. O q me mata em tudo isso, é saber que eles fazem esse tipo de programa para defamar as outras religioes.

Também acho o tempo que ficam no ar excessivo (exagerado).
De todos o melhorzinho é o Fala que eu Te escuto, que tem um objetivo legal, mas na pratica não funciona.

Fabio disse...

Falaram tudo, não tenho mto o que dizer. Acho um desrespeito com os telespectadores.
Esses boatos que a Record deixaria de exibir programas religiosos, poderiam ser verdadeiros, assim quem sabe a Record se torne uma emissora de verd.

Anônimo disse...

Vcs só n percebem que críticando e condenando a igreja evangelica tb é uma forma de preconceito né?

Flávio disse...

E quem aqui condenou a igreja evangelica?
Só estamos dizendo que não somos de acordo com a inserção da igreja na TV.
Seja evangelicos ou catolicos.
Chega

Gui disse...

Tenho uma curiosidade tremenda de saber os índices de audiência dos programas religiosos. Não consigo imaginar que trabalhadores brasileiros fiquem madrugada adentro vendo programas religiosos. Que a Record apresente estes programas acho até normal, afinal a emissora percente a IURD, mas a demais, só tem um objetivo: financeiro.

Filippe Pye disse...

XXX SEPARANDO O JOIO DO TRIGO XXX

O que se discute não é o fato de haver progrmas evangélicos na TV. É discutível o comércio louco que é feito. Com bíblias que custam 3 parcelas de 120,00, com anúncio de fogueiras santas onde se dá tudo ou nada; achocolatados com uma turminha infantil e todas as indulgências vendidas em nome de Deus. É absurdo, de arte nesse programas não tem mais de 15 minutos. Fora isso são pessoas bem vestidas fazendo comercio para pagar suas produções indenpendentes. Se não houver freio vai ficar insustentável. Como olhar os culto da IURD, do Silas Malafais, R.R.Soares e Cia e não achar estranho. Falam em Nome de Jesus e aproveitam para agir como bons empreendedores. Tinha um programa evangélico bem bacana, mas sumiu. Era do fenômeno gospel Diante do Trono (vale fazer uma busca para quem não conhece) comandado pela doce Ana Paula Valadão. Tinha 30 minutos. Ana cantava, fazia uma prece, lia a palavra de forma livre para que cada um se conscientizasse a sua maneira e lia carta de leitores... Não vendia um lápis e dava 2 pontos na Rede TV. Ou seja, esse público merece atrações destinadas a ele , mas que seja de forma bacana e não de modo ambíguo ou duvidoso. Videntes atendendo por telefone, padre vendedores de CD, espíritas vendendo trabalho para trazer o amor em 3 dias e pastores ambulantes deviam ser presos por usarem a fé para se beneficiar.

Douglas disse...

Vc tá falando serio sobre o preço de uma bíblia Fillipe?

3 x de 120?

Uai, assim só os ricos poderão ter conhecimento da possivel historia de Deus

Thiago disse...

Legal o texo Fillipe, concordo com você em vários pontos que citou, mas acho que programas como esses deveriam desaparer da TV, não acrescenta em nada na vida das pessoas, e aqueles que realmente querem ter um contato com Deus não é na Televisão que isso irá acontecer.

Cláudio Almeida disse...

Gui
Os programas evangélicos da Igreja Universal nas madrugadas da Record atingem 1pto de média. Claro, que em determinados momentos dá traços de audiência. Mas, isso é o de menos.

Douglas disse...

E tome matérias e chamadas da novela Revelação ao longo da programação da emissora.

No Casos de Família e no Olha Você.

E ainda teremos o elenco na Hebe. Tudo para aquecer a estréia

Thiago disse...

Fillipe que stresse é este que um anônimo disse nos post abaixo em um comentário? Não entendi

Max F. disse...

Se tem esses "lixos" na televisão, é por que tem um tonto assistindo. Pra acabar com essas porcarias é só esses "fiéis" criarem vergonha e pararem de terem preguiça e iram para suas igrejas. Assim essas pragas são detetizadas. Aja paciência, quer ver oração, culto, benção, macumba ou o cão que for, não é na TV o lugar certo. Pelo amor de Deus, não tem o que colocar na TV, não coloca nada.

Lamego disse...

a globo tem programa sobre igrejas?
nunca vi acho que não tem, até na grade deles não consta creio eu.
Agora uma pergunta pra galera olha só na grade do sbt diz: Pantanal 22e revelaão 22:30 e sbt re ailida 23:25, mas aqui a grade não altero não, o que fizeram só botaram a revelação, depois de pantanal, que foi 23:20.
Sbt realidade começou a meia noite, ahora pergunto essa grade que fizeram só foi pra São Paulo né? pra ganhar mais audiencia porque uh que intereça, ou seja, se for assim eles não estão nem ae pro resto do Brasil.
desculpa se tiver errado mas acho que não estou valeu ateh mais.

Filippe Pye disse...

Xiii Thiago não sei... Mas quem é anônimo!?

Sobre o tema:

Daqui a pouco só vai ter culto e polishop na TV. MEDA!

Pr. Jose Maria disse...

Olá Pessoal, quero em primeiro lugar pedir a atenção te vcs para a realidade.
hoje no Brasil os Evangelicos representam 32% da população e os catolicos 44%, somando isso daria 76% e pessoas como vcs somam: ateus, feiticeiros, macumbeiros adulteros e preconceituosos somam 24% então somos maioria e ainda vamos crecer cada vez mais se preparem pq o Silvio Santos ja está com bastante idade parte da familia dele são evangelicos, Parabens para os programas religiosos seja evangelicos ou catolicos.
há eu tenho uma biblia que custou 360,00 mas antes ja gastei muito mais com cigarros cachaça.

Ana Jacinta de São José disse...

É VERDADE! A partir de 2011 a programação religiosa deixará definitivamente a programação da Rede Record. a Rede Record apenas não confirmou a notícia porque até 2011 pretende estruturar a Rede Família, ainda de cobertura restrita, e transformá-la num canal semelhante a RIT do missionário R.R. Soares e apartir da Rede Família transmitir apenas os programas religiosos da Igreja Universal, aí, já que é um canal segmentado, para o público da Igreja Evangélica, assiste quem quer.

Para a madrugada a Rede Record está pensando em exibir documentários produzidos pela própria Record e por produtores independentes e séries nacionais, feitas pela Record e por produtores independentes e também jornalismo de entretenimento e factual. A Record quer ocupar suas madrugadas com uma programação diferenciada, não vai fazer como SBT e Globo que transmitem filmes americanos e séries enlatadas. Tá certo!