Telinha Quente no Facebook

quinta-feira, 17 de julho de 2008

A Pior Fase da História


O ano de 2008 está na metade e já entrou para a história da televisão brasileira. Em janeiro, O SBT até então vice-líder de audiência em todo território nacional, perdeu o posto para até então terceira colocada Rede Record, ou seja, após 24 anos de hegemonia absoluta sendo vice e chegando várias vezes a incomodar a então imbatível Rede Globo.


Vários fatores contribuíram para o declínio da emissora de Silvio Santos, o principal deles é a falta de planejamento em longo prazo, porém, não poderemos esquecer as constantes mudanças na grade de programação. Podemos dizer que o SBT mereceu a perda da vice-liderança, pois se acomodou nela, deixando a entender que a emissora nunca quis brigar pela liderança absoluta nacional.


O mesmo planejamento que faltou ao SBT, a Rede Record tem de sobra, até mesmo ao ponto de soar com soberba, e antes mesmo de conquistar a vice-liderança, já pensava no primeiro lugar até 2010. Impossível? Talvez, já que a cobro ao longo de seus 40 anos se mantém como líder absoluta, goza de prestígio junto aos telespectadores. Então a resposta não seria talvez, seria não, certo? Errado, e explica-se, o ano ainda nem acabou e a Globo nunca perdeu tanta audiência ao longo de sua história, principalmente de forma tão rápida e em diversas faixas de horário.


O motivo para a perda de telespectadores não é a Record, e sim, a própria Globo, que estruturou sua programação fixa em formato fechado, e não consegue mais sair disso, pela manhã jornal, programa feminino, depois, infantis, no início da tarde, jornal, programa de esportes, variedade, reprise de novelas, sessão de filmes e a novela juvenil, e no período noturno, novela das 6, jornal, novela das 7, jornal, novela das 8, e linha de shows. A tal fórmula que todos nos conhecemos muito bem e funcionou melhor ainda, mostra visíveis sinais de desgastes.


Confiando na máxima de que em time que está ganhando não se mexe, a Globo, segue quieta, tentando preservar a sua grade de programação e seus programas. A intenção da emissora é prender o telespectador do início ao fim, mas, hoje em dia, é difícil alguém parar na frente da TV durante horas. Principalmente com um concorrente feroz: a internet, que a todo o momento vem se inovando, web 2.0, web 3.0 e quantas vezes mais forem indispensáveis.


Para reverter está situação a Globo precisa de ousadia para renovar, Xuxa, Didi, Faustão, Ana Maria Braga e até mesmo os telejornais da emissora precisam de uma reformulação geral, como diz o jornalista Sergio Rodrigo Reis, Fátima Bernardes e William Bonner mais parecem, com todo respeito, peças de museus.


Será que é tão difícil mesclar novos profissionais a estes “monstros sagrados”? Na própria emissora prova-se o contrário, o jornalístico Profissão Repórter, vem se consagrando como o melhor programa da TV brasileira. Ao mesclar a experiência de Caco Barcelos com jovens profissionais o jornalístico tem dado banho de criatividade e é a melhor opção para as terças-feiras.


Resta saber até quando o modelo antigo da “toda poderosa” se sustentará. Ao que tudo indica se não acontecer mudanças a tendência de queda é irreversível e vai ficar na história, assim como o SBT.

Um comentário:

Maria José disse...

É preciso se ter cuidado... e a GLOBO sabe o que faz... tudo agora é novidade... ela sabe que o povo cansa destas outras baboseiras de RECORD e volta para ela... é um time de 1ª, e isso não se discute... e o SBT também tem como líder um cara inteligentissimo que não é a toa que se fez sozinho, sem roubar ninguem... Tudo voltará ao normal.. SBT e GLOBO ninguem tasca.. vc verá...